Pular para o conteúdo

Você que gosta de fotografia já pensou em iniciar a sua carreira profissional? Se já pensou, é quase certeza que está pensando em focar os seus esforços na fotografia de casamento. Digo isso por ser o ponto de partida para muita gente, a chamada fotografia social. Mas, querer somente pode não ser o suficiente. Existem muitas coisas a serem planejadas e nem todo mundo possui esse conhecimento.

...continuar lendo "Câmara Escura #019 – Começando na Fotografia de Casamento"

Olá pessoas, estamos de volta com mais um número do Sons da Gruta, o nosso podcast. Hoje o tema é algo triste. Vamos falar das recentes polêmicas dos casos de assédio sexual praticados por fotógrafos profissionais. Vamos falar sobre casos internacionais, casos nacionais e dar algumas dicas para vocês que quer ser fotógrafo de mulheres e para as mulheres que estão procurando um fotógrafo.

...continuar lendo "Sons da Gruta #017 – Assédio sexual na fotografia profissional"

Eu pensei muito antes de escrever esse texto, mas acho que o assunto tem que ser discutido  e a coisa já está escrachada o suficiente. Nos últimos meses, uma onda gigantesca de denúncias de assédio sexual caíram sobre grandes nomes da fotografia profissional mundial. O último que havia entrado nesse grupo de fotógrafos assediadores é o famoso Mario Testino, um fotógrafo de moda que cobra fácil US$ 1 milhão por ensaio para as grandes revistas de moda.

...continuar lendo "Assédio Sexual na Fotografia Profissional"

Olá pessoas, tudo bem? Hoje estamos aqui com mais um episódio de nosso podcast, o Sons da Gruta. Hoje continuamos falando sobre fotografia profissional e vamos responder a um e-mail de perguntas enviado por um dos nossos ouvintes. Um grupo de 6 peguntas sobre questões que envolvem o início na fotografia profissional. Se você também está começando na fotografia e está cheio de dúvidas, então é só ouvir nosso programa.

Coisas citadas durante o programa:

Quer me seguir nas redes sociais? Então é só ir até os links abaixo.

 Twitter
– Instagram (fotografia sensual)
Instagram (fotografia social)
– Facebook
– Site

Trilha Sonora do episódio - Disturbed - Immortalized (2015)

Ola pessoas, estamos aqui com nosso terceiro podcast e ainda com o tema fotografia. Hoje, um assunto muito bacana para quem está começando na fotografia e até para quem já está na estada há algum tempo: Gerenciamento de cores para fotógrafos.

Vejam se vocês já tiveram a seguinte experiência. Você fez uma foto que gostou muito, editou em casa e deixou ela perfeita. Mandou esse arquivo para impressão e quando ele chegou você ficou decepcionado por conta da qualidade das cores. Esse problema é muito comum, mas é resolvido com  um bom gerenciamento de cores. Vejam nesse podcast o que fazer e onde você está errando.

Lembrando que o objetivo é estar aqui toda semana com um episódio diferente e não somente sobre fotografia. Vamos falar de música, séries, quadrinhos e quase tudo envolvendo o mundo nerd.

Coisas citadas no episódio

Como sempre, sugestões de temas, dúvidas e puxões de orelha, você pode enviar para o e-mail gilson@meiobit.com.

Fotografia é, basicamente, luz. Entender os conceitos de intensidade e qualidade de luz é o único caminho para você se tornar um profissional de alta qualidade. O flash é um dos aparelhos essenciais na vida de qualquer fotógrafo. Eu vejo muita gente falando por ai que odeia a luz do flash, que ela não é natural, que o efeito é muito artificial.  Isso é normal em pessoas que não sabem como utilizar a luz do flash para melhorar o seu trabalho. Eu utilizo flash para praticamente tudo, inclusive sessões de retrato externo. Um dos grandes problemas que encontramos na fotografia profissional é basicamente a usabilidade das unidades de flash.

Conheço muita gente que está trocando os grandes flashes de estúdio por unidades de flash dedicado. Eles são pequenos, podemos levar para qualquer lugar em uma bolsa, e você elimina completamente aquele monte de fios e necessidades de várias tomadas no estúdio. O problema é que uma unidade de flash dedicado (seja Canon ou Nikon) é muito mais cara do que a maioria dos flashes atuais de estúdio (desde as unidades chinesas até as marcas mais conhecidas). Mas, levando em conta minha experiência, é uma transição muito bacana de ser feita desde que você tenha dinheiro para investir.

Pensando nessa dicotomia entre flash de estúdio e flash dedicado, a Profoto está lançando o primeiro modelo do que ela chama de menor flash de estúdio do mundo. Ele é um flash compacto, com disparo em TTL (Canon e Nikon) e manual. O Profoto A1 possuí uma cabeça redonda com encaixes magnéticos para os mais diferentes tipos de acessório. Pode ser disparado tanto na sapata da câmera quanto fora. Ele é alimentado por uma bateria de Li-ion com capacidade para 350 disparos em carga máxima e um tempo de reciclagem de 1,2 segundos. A bateria é recarregável e leva cerca de 80 minutos para carregar uma carga completa. A empresa garante que essas características fazem do A1 um flash mais rápido do que qualquer outro. Além de todas essas características, o A1 ainda possuí uma luz de modelagem, trazendo para os flashes compactos uma das grandes vantagens dos equipamentos de estúdio.

O pessoal do Petapixel já teve a oportunidade de testar um dos equipamentos e as conclusões foram extremamente positivas. O flash tem potência elevada de iluminação, bateria com longa durabilidade, menu amigável e fácil de ser utilizado e tempo de reciclagem aceitável para as mais variadas produções fotográficas. Infelizmente, toda essa tecnologia possui um preço elevado. Cada unidade do Profoto A1 vai chegar ao mercado custando US$ 995,00. Uma bela facada para quem está com o caixa baixo, mas um investimento cujo retorno é garantido.