Pular para o conteúdo

Os fotógrafos brasileiros estão finalmente descobrindo que a fotografia pode ser utilizada para defender suas mais variadas causas. Quando você coloca conteúdo em sua imagem ela deixa de ser uma simples foto e passa a ser algo mais. Em alguns casos ela se torna arte, em outros apenas um efetivo e competente meio de comunicação.  Pensar um ensaio fotográfico com conteúdo é o primeiro passo para se livrar das amarras do tecnicismo na fotografia e finalmente se sentir livre. Mas, nem sempre concordamos com a mensagem.

Hoje decidi colocar a mão em um vespeiro. Nos últimos tempos temos visto as mais variadas causas sendo defendidas pelos chamados SJW (Guerreiros da Justiça Social). São pessoas que defendem sua visão de um mundo "mais justo" com unhas e dentes, mesmo que essa visão não seja tão justa assim, Uma das vertentes é a que luta contra a gordofobia. Isso mesmo, contra o preconceito contra pessoas gordas. Esse preconceito existe? Sim, claro, passei por ele a minha vida inteira, mas ele não me impediu de fazer faculdade, estudar fotografia e atingir meus objetivos. Na verdade, a obesidade, e não o preconceito, é que limitam minha vida.

Na semana do Natal, o fotógrafo  Israel Reis publicou em seu instagram um projeto fotográfico que tem por objetivo discutir a miscigenação e a questão da gordofobia. Para isso, realizou um ensaio fotográfico com bailarinas plus size (mulheres brancas e negras) em uma antiga fazenda que foi construída durante o período da escravidão no Brasil. Uma das modelos foi sua própria esposa, que é uma das dançarinas plus size da cantora Anita. O ensaio se chama "Mulheres, miscigenadas, gordas e felizes". Segundo o fotógrafo, o objetivo do ensaio fotográfico era debater o preconceito. Veja abaixo uma das imagens deste ensaio.

Que existe um preconceito contra gordos na sociedade isso é real. O ser humano não gosta muito daquilo que foge da normalidade vigente. Mas, o fato de ter o direito de não ser prejudicado simplesmente por conta de sua forma física não quer dizer que devemos aceitar a obesidade mórbida como sendo normal. Isso é um caso de saúde pública. É ótimo ver todo mundo dizendo que se aceita e se gosta, mas a saúde está sendo prejudicada e esse tipo de campanha ou mensagem pode levar outras pessoas a pensarem que esse estado físico é normal. Não é. Junto com a obesidade temos todos os tipos de problemas como diabetes, hiper tensão, problemas cardíacos e respiratórios, distúrbios do sono, etc. Muitos podem dizer que são gordos e não possuem esses problemas, mas isso é só temporário e enquanto for jovem. Um dia o preço vai ser pago.

Ser obeso não é normal. Procure um endocrinologista e um nutricionista. Comece uma dieta balanceada. Crie uma rotina de exercícios. Perca peso. Não é impossível. Todo mundo é capaz, só é preciso a força de vontade. Sua vida vai mudar, sua disposição vai aumentar e você vai perceber que a vida pode oferecer muito mais do que você têm.